Artigos

Quarta - 08/04/2009 às 19:52

Compre um livro! Depois, compre outros!


“Quando vieres traz a capa que deixei em Trôades, em casa de Carpo, e os livros, principalmente os pergaminhos” – II Timóteo 4 : 13.

 

O jovem obreiro Timóteo deveria deixar seu trabalho ministerial na cidade de Éfeso, pelo menos temporariamente. Tíquico o substituiria em sua ausência. Mas, a caminho de Roma, onde Paulo estava preso, Timóteo deveria parar em Trôade, onde o apóstolo Paulo deixou, em casa do irmão Carpo, a capa, os livros e os pergaminhos. Era um desvio de duzentos quilômetros na viagem, tornando-a mais extensa e cansativa. Porém, aquilo que Paulo pedia era muito importante. A capa era uma pesada vestimenta de inverno, feita de lã grosseira, normalmente sem mangas, mas com uma passagem no meio, para a cabeça. Sobre o irmão Carpo sabemos que foi o hospedeiro de Paulo quando de sua passagem pela cidade de Trôade ( ou Troas em outras traduções ). A tradição nos informa que foi pastor de Laodicéia e depois da ilha de Creta. Quanto aos livros, no grego temos a palavra biblos, que é a forma plural. Eram rolos de velo ou chamados também de pergaminhos, material de escrita extremamente caro, pelo que o papiro era mais empregado, porém mais perecível. O que estaria escrito nesses livros? Não sabemos... Alguns arriscam-se a especular que seriam as Escrituras do Antigo Testamento, outros que seriam livros dos filósofos, outros que talvez fossem cópias de suas próprias cartas e outras que ele recebera e há quem diga que poderiam ser comentários judaicos do Antigo Testamento. Mas apenas uma verdade se depreende de seu pedido: o idoso pregador Paulo poderia sentir-se feliz com os seus livros! Falemos um pouco dos pergaminhos, enfim. Eram documentos feitos de peles preparadas de bezerros, de cabras e até de antílopes. Como curiosidade informo que o pergaminho mais caro era o feito de pele de bezerro ainda não nascido, devido à sua fina textura. Haviam dois tipos, em rolos ou páginas soltas. O nome pergaminho se derivou da cidade de Pérgamo, na Mísia, onde era fabricado em grande quantidade. Observe que Paulo diz ´principalmente os pergaminhos´, o que levam eruditos suporem que eram cópias primitivas das declarações  e da história da vida de Jesus.

Lembremo-nos que Paulo vivia dias de grande provação. E o que ele desejava, ao escrever esta segunda carta a Timóteo, que acabou sendo a sua última carta escrita, pois em seguida foi martirizado em Roma, sendo decapitado, eram seus livros como companhia final.

Por que escrevi todos estes comentários? Para lhe argumentar  o quanto os livros, os bons livros, são úteis, necessários e enriquecedores. Úteis para informar-nos o que outros tiveram oportunidades de estudar e pesquisar, necessários para compreender épocas e comparar conhecimentos, enriquecedores do caráter, das decisões e das nossas capacidades. Todas estas informações em minha memória somente são possíveis pela graça de Deus e porque tenho livros! Desde os meus doze anos eu compro livros. E os tenho acima dos milhares. Porém, desde os meus nove anos leio a Bíblia!  Se alguém pensa o contrário, lembre-se de quanto o apóstolo Paulo foi usado por Deus em escrever. Por que? Era o mais preparado para tal. Deus nos usa na medida do que apresentamos a Ele. A Moisés foi perguntado: O que tens nas mãos? Uma vara!, respondeu. E com aquela vara, que a Bíblia passa a chamar de ´vara de Deus´, Moisés conduziu milagrosamente o povo de Israel pelo deserto. Cinco pães e dois peixinhos, nas mãos do homem, continuariam como merenda individual da tarde. Nas mãos do Senhor Jesus, multiplicaram-se para alimentar milhares. Deus usa o indouto e o intelectual. Paulo era intelectual. No Novo Testamento temos 13 cartas escritas por ele. E outras são mencionadas, que se perderam. Pedro, sem as mesmas oportunidades de escolaridade de Paulo, escreveu duas, com o total de 8 capítulos. Somente a carta de Paulo aos Romanos tem o dobro de capítulos, dezesseis. Isso nada tem a ver com unção. Ambos eram ungidos. Transcrevo este paralelo entre Pedro e Paulo tirados do livro de Atos:

 

Pedro

Primeira pregação ( capítulo 2 )

Cura de um coxo ( capítulo 3 )

Simão, o mágico ( capítulo 8 )

Influência da sombra para curar ( 5 )

Imposição das mãos ( 8 )

Pedro recusa adoração ( 10 )

Ora e Tabita ressuscita ( 9 )

Prisão de Pedro ( 12 )

 

Paulo

Primeira pregação ( 13 )

Cura de um coxo ( 14 )

Elimas, o mágico ( 13 )

Influência do lenço para curar ( 19 )

Imposição das mãos ( 19 )

Paulo recusa adoração ( 14 )

Ora e Êutico ressuscita ( 20 )

Prisão de Paulo ( 28 )

 

Alguém, querendo diminuir o curso de Direito de um irmão em Cristo, disse-lhe rispidamente: Deus não precisa de seu diploma. Ao que ele respondeu de pronto: E nem da sua ignorância!  Mas, há algo que acontece: aquele que tem mais para apresentar e dar ao Senhor tem mais oportunidades na vida da igreja e ministerial. Nada a ver com unção!

Gunnar Vingreen, o pioneiro fundador das Assembléias de Deus, era bacharel em Teologia, leitor de livros e com muita capacidade intelectual. E também era um homem franzino em seu físico. Daniel Berg, seu companheiro nas missões em terras brasileiras, não estudou, era lavrador e de um porte físico avantajado. Alto e muito forte. Quando chegaram no Brasil, Gunnar estudava a língua portuguesa durante o dia e o irmão Daniel trabalhava para sustentar os dois, e à noite o irmão Gunnar era seu professor de português. E ambos eram ungidos, poderosamente usados nas mãos de Deus. Gunnar era pregador fervoroso e capacitado. Eu vi no museu das Assembléias de Deus em São Paulo, o sermonário de Gunnar Vingreen!  Daniel Berg era pregador fervoroso e simples. Você percebeu a multiforme graça e sabedoria de Deus envolvidas nestas chamadas?

Pois bem, tudo escrevi para lhe incentivar a não resistir aos livros. E se você chegou até aqui na leitura deste artigo, é porque você tem vocação e sede de saber.

O que não podemos agir diante dos livros é nos ensoberbecermos, pois a ciência incha- Iª aos Coríntios 1 : 8.  Submeta seu intelecto à cruz da vitória de Cristo. Leve cativo à cruz da humilhação de Cristo tudo que você é e sabe. E quão preciosos me são, ó Deus, os teus pensamentos! Quão grandes são as somas deles! Salmo 139 : 17. Por maior que seja sua biblioteca, você nunca saberá o suficiente...

Spurgeon, o príncipe dos pregadores do século 19, não teve a oportunidade de estudar. Foi pastor de uma igreja evangélica na capital da Inglaterra, Londres, num templo de 10.000 lugares, onde se realizava até três cultos aos domingos, para ouvi-lo pregar. Era desprezado pelos bacharéis de teologia da época, que invejavam sua erudição, sua alta capacidade intelectual, sua iluminação extraordinária nas Escrituras e a inspiração do Alto em sua vida! Suas pregações influenciam até hoje milhares de pregadores! Ele não era contra os estudos e nem contra os livros. Apenas, não teve oportunidades, por extrema pobreza até à sua mocidade. Depois, já pastor de grande denominação, fundou institutos bíblicos e escolas seculares. Ele dizia aos seus obreiros: Fique sem o almoço de hoje, mas economize para o próximo livro! Ao morrer, aos 53 anos de idade, sua biblioteca continha 16.000 livros!  E o mais admirável, a maioria trazia anotações de Spurgeon em suas páginas!

Permita-me finalmente contar-lhes de Samuel Nystron, pioneiro do Movimento Pentecostal das Assembléias de Deus no Brasil, que veio da Suécia em 1916 auxiliar Gunnar Vingrenn e Daniel Berg, inclusive os substituindo como pastor da Assembléia de Deus na igreja-mãe, Belém – Pará. O missionário Samuel Nystron era um homem com mais de dois metros de altura e calçava 47.  Com curso superior, era um intelectual. Gostava de ler. Escreveu muitos livros também. Vi, igualmente, o seu sermonário no museu das Assembléias de Deus em São Paulo.  Lia muito, inclusive romances da literatura mundial. Falava, lia e escrevia fluentemente em inglês, francês, alemão, português e, naturalmente, o sueco, além do hebraico e grego. Gostava de fazer palavras cruzadas para treinar a memória e a mente em todos esses idiomas. Porém, leu a Bíblia mais de cem vezes!

Por detrás e por baixo da Bíblia, acima e além da Bíblia, está o Deus da Bíblia”.

Exaltaste o teu nome e a tua palavra, acima de todas as coisas” – Salmo 138 : 2.

 

Comece hoje mesmo a sua biblioteca!

> Pastor Eliel Goulart



Comentario Enviado com Sucesso!
Fechar